Sempre adorei cinema

Sempre adorei cinema. E sou meio compulsiva com isso. Passei a infância vendo animações da Disney até o ponto de saber músicas e cenas de cor até hoje. E até hoje se gosto de um filme sou capaz de revê-lo até enjoar. Gosto de manter o olhar ingênuo, sem ficar analisando tudo de forma exaustiva. E admirar novamente aquela frase dita com impacto, um olhar marcante, uma reviravolta surpreedente, bandas sonoras incríveis e maravilhosas paletas de cores que tornam cada frame uma obra de arte melhor que muita poesia. O encanto do cinema é justamente essa capacidade que tem de despertar emoções no espectador. Pensando nisso, eu estava recordando alguns dos meus filmes favoritos, cujas cenas não me saem da cabeça pela sua beleza e pelos sentimentos que transmitem. Resolvi postar 5 deles, relativamente recentes, na esperança de que alguém que também os ame se identifique. Ou que alguém que não viu, se inspire a assisti-los.

1. We Need to Talk About Kevin (2011)giphy (1)

Perturbador é a palavra para esse filme, mesmo não tendo nenhuma cena exageradamente esplícita. O co-protagonista do filme é a cor vermelha, inserida nunca ao acaso. Um olhar sobre psicopatia, culpa, e o eterno nature vs. nurture. Ficou na minha cabeça por dias.

2. Grand Budapest Hotel (2014)giphy (4)

Eu poderia ter escolhido qualquer outro filme de Wes Anderson (The Life Aquatic of Steve Zissou e Darjeeling Limited estão entre os meus favoritos), são todos esteticamente belíssimos. No entanto não se compõem apenas disso. Suas histórias são geralmente uma mistura de comédia, drama e aventura, algo inusitadas, resultando num verdadeiro afago para os sentidos.

3. Persepolis (2007)                             giphy (2)

Poderia ver esta animação dezenas de vezes. Acompanhamos a vida da protagonista enquanto vivencia mudanças históricas no Irão. Marjane é uma mulher forte que se rebela contra costumes repressores, embora não seja aquela personagem sempre correta e boazinha. Ser uma animação a torna ainda mais especial e expressiva.

4. The Eternal Sunshine of the Spotless Mind (2004) giphy (3)

Se por um lado muita gente se identifica com o pacato e tímido Joel, muitos anseiam ser tão espontâneos e livres, doa o que doer, como Clementine. Michel Gondry pegou esta história densa e criativa de Charlie Kauffman e introduziu-a em seu já recorrente mundo visual mágico. O resultado é, sem dúvida, inesquecível.

5. Tokyo! (2008)                   tumblr_lra8zrlqa51qzhhtgo1_500

Infelizmente este filme não é muito conhecido. É o resultado do esforço não de um, mas de três diretores: Michel Gondry (ele de novo), Leos Carax e Joon-Ho Bong. Cada um retrata em um segmento a sua visão de Tóquio, com um quê de adorável e também de bizarro. Outro filme com cenas tão maravilhosas quanto eletrizantes. O de Joon-Ho Bong é o meu favorito pessoal.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s