Névoa

Esta convicção de que há

Algo de errado comigo

Não conto

A ninguém

Escondo

Engulo

Até a garganta doer

Escondo-a de mim

Embora saiba

Que todos me podem ver

Inapta

Inadequada

Inerte

Inanimada

Há qualquer coisa

Que me ata os braços

Que me pesa os passos

Que me povoa a mente

Uma enchente

De neblina

Já não sei pensar

Sou apenas um pântano

De emoções que acendem

Como fogos-fátuos

Apenas sorrio

Para que me esqueça

E eles também

De que não sei pertencer

A nenhum lugar

A não ser

À névoa na minha cabeça.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s